Segurança digital: como ajudar os idosos de sua família a se protegerem contra golpes e fraudes
07/06/2023

Segurança digital: como ajudar os idosos de sua família a se protegerem contra golpes e fraudes

Conheça os principais golpes contra idosos e saiba o que fazer caso alguém próximo se torne vítima de tentativa de fraude financeira

Por sua maior vulnerabilidade, pessoas idosas são as principais alvos de fraudes e golpes financeiros, que estão cada vez mais comuns e sofisticados. Segundo o Radar Febraban 2023, 35% das pessoas acima de 60 anos já foram vítimas de algum tipo de golpe ou tentativa de golpe envolvendo sua conta bancária. 

Os estelionatários abusam da ingenuidade, confiança e perda cognitiva do idoso para obter informações sigilosas de acesso às informações bancárias. Aproveitando-se da popularização das compras online, aplicativos e redes sociais, usam a persuasão para tentar convencer a pessoa a informar seus dados pessoais, códigos, senhas ou fazer transferências.

Por isso, é importante orientar e instruir os mais velhos sobre como se proteger para não serem vítimas desse tipo de crime. E a maior ferramenta para isso é a informação. Continue lendo e saiba o que você pode fazer para ajudar seus pais, avós, tios e outros idosos que você conhece a se tornarem cada vez mais atentos e conscientes.

Golpes mais comuns

Para prevenir possíveis golpes é preciso entender os tipos mais comuns, informando e orientando as pessoas próximas. A seguir, você conhece os principais deles.

Phishing, a pescaria digital

Um dos crimes virtuais que mais cresceu nos últimos três anos foi o chamado phishing, ou pescaria digital. E-mails com  ofertas milagrosas de produtos e promessas de ganhos excepcionais, mensagens de texto no celular ou pelo WhatsApp são os meios mais comumente usados para induzir o idoso a acessar sites falsos. 

Muitas vezes, esses sites têm um visual bem semelhante ao de lojas conhecidas, o que acaba gerando uma sensação de confiança. Uma vez feito o acesso, é comum pedirem o número do cartão de crédito e, em alguns casos, até mesmo senhas. 

Outra forma de phishing é o envio de mensagens ou e-mails com vírus, que são instalados no computador do idoso e que registram seus dados pessoais, quando digitados. Para não ser “fisgado”, oriente o idoso a:

  • Evitar cliques em e-mails e mensagens no celular com promoções extraordinárias ou pedidos de informações pessoais. Outra dica é evitar abrir anexos que não esteja esperando receber.
  • Checar o remetente dos e-mails com atenção. Às vezes um e-mail pode ter um nome muito semelhante ao de uma pessoa ou empresa conhecida, porém, com uma pequena diferença, como um caractere especial ou número.
  • Não informar dados pessoais antes de conferir se a mensagem é verdadeira ou não. Um banco nunca envia mensagens pedindo para atualizar dados, por exemplo.
  • Não informar senhas, em nenhuma situação.
  • Evitar clicar em links com pedidos de ajuda enviados pelo WhatsApp antes de conferir se a mensagem é verdadeira. A sugestão é ligar para o familiar ou amigo que está pedindo ajuda, usando  um telefone diferente do que recebeu a mensagem. 

Falso motoboy

Outro golpe muito comum é o  do falso motoboy. Pessoas mal-intencionadas entram em contato por telefone, se passando por um funcionário de banco, dizendo que o cartão de crédito foi clonado. Pedem, então, para o idoso dobrar ou cortar o cartão ao meio para inutilizá-lo e informam que irão enviar um motoboy para recolher o cartão.

Só que, mesmo dobrando o cartão, o chip com os dados fica intacto, e o cartão ainda pode ser usado para fazer compras. Para não cair nesse tipo de golpe, o idoso:

  • Não deve passar informações a supostos funcionários do banco por telefone.
  • Nunca deve entregar o cartão a ninguém — o banco jamais irá mandar alguém para retirar o cartão em casa.
  • Caso liguem dizendo que o cartão foi clonado, a orientação é desligar o telefone imediatamente e ligar para o número que consta no cartão, para pedir esclarecimentos.

Golpe do empréstimo consignado

O golpe do empréstimo consignado funciona assim: por meio do WhatsApp, e-mail ou ligação, os criminosos oferecem um empréstimo consignado vantajoso, pedindo um depósito antecipado para a liberação do dinheiro.

Outras vezes, entram em contato fingindo falar em nome de alguma instituição financeira e pedem a confirmação de dados pessoais ou o envio de fotos de documentos. Com os dados em mãos, abrem contas ou contratam planos de celular em nome da vítima.

Em ambos os casos, instrua as pessoas idosas a:

  • Não informar dados pessoais por WhatsApp, telefone ou e-mail.
  • Nunca depositar valores para antecipar a contratação de qualquer empréstimo. Essa prática não é adotada pelos bancos e financeiras. 
  • Negociar a contratação apenas com instituições financeiras que conhece e usando seus canais oficiais de contato.

Golpe do FGTS

Um novo tipo de golpe que tem causado muitas vítimas é o do FGTS: por meio de mensagens de SMS, Whatsapp ou e-mail, os criminosos mandam uma notificação dizendo que a vítima tem dinheiro do FGTS disponível para sacar. Junto, vai um link que direciona para um site falso. Uma vez no site, são solicitados dados pessoais para a liberação do saldo.

Esse golpe funciona como o phishing e, para evitá-lo, oriente o idoso a:

  • Nunca clicar em links suspeitos ou passar informações pessoais pela internet.
  • Conferir cuidadosamente o endereço do site. Muitas vezes a URL pode conter pequenos erros no nome da empresa ou, ainda, usar extensões não cabíveis, como .net ou .org.
  • Verificar se o site é oficial e conferir os selos de segurança que costumam estar localizados na parte superior ou inferior da página inicial.

Golpe do Bolsa Família

Nesse caso, os fraudadores usam indevidamente o nome do programa público de transferência de renda para ludibriar as pessoas. O beneficiário do programa recebe mensagens por WhatsApp ou SMS dizendo que é possível receber um valor maior do que o efetivamente pago pelo Bolsa Família ou, então, antecipar uma parcela do benefício.

Atraídos pela promessa de receber mais, muitas pessoas entram nos sites e links enviados pelos golpistas e inserem seus dados pessoais e bancários para receber o falso benefício.

Em outros casos, os golpistas entram em contato alegando que é necessário fazer uma atualização nos dados do aplicativo Caixa Tem, usado desde 2020 para o recebimento do benefício. Por telefone, eles começam a confirmar dados pessoais do usuário, solicitando o CPF, número de conta e até mesmo senhas.

Independente da abordagem, saiba o que o idoso deve fazer para se proteger:

  • Não clicar em links que com promessas extraordinárias (elas possivelmente são falsas).
  • Não informar dados pessoais por WhatsApp, telefone ou e-mail.
  • Não digitar dados pessoais em sites que você não conheça e confie.
  • Nunca compartilhar suas senhas.
  • Na dúvida, entrar no aplicativo Caixa Tem para conferir o que é verdade.

Sequestro de familiar – Empréstimo a familiar

O falso sequestro ainda faz vítimas reais: pelo telefone, simulam o sequestro de um familiar e exigem dinheiro para o resgate. Em uma variação dessa prática, os criminosos se passam por um familiar em apuros, precisando de um empréstimo urgente. Em ambos os casos, os golpistas se aproveitam da confusão momentânea gerada pelo choque de receber uma notícia desesperadora.

Para não ser enganado, oriente o idoso a:

  • Certificar-se de que a pessoa que está ligando é realmente um conhecido. Para isso, pergunte algo que só a pessoa que ele conhece saberia responder, por exemplo.
  • Nunca fazer um depósito ou PIX na pressa, sem antes conferir se está mesmo falando com um conhecido. A orientação é ligar para o telefone cadastrado na agenda e não fazer a transferência enquanto não conseguir falar com a pessoa que, em tese, está pedindo dinheiro emprestado para resolver um problema urgente.

Converse sobre o assunto com os idosos que você conhece

Todas essas dicas são importantes para orientar os idosos, evitando que se tornem vítimas de pessoas de má-fé. Sentar, conversar e explicar os tipos de golpes mais comuns é a melhor forma de cuidar das pessoas que você ama, instruindo-ass sempre que necessário. Outra dica é pôr o seu número como contato prioritário do celular de seu familiar idoso e combinar algum tipo de código para que eles confirmem que estão mesmo falando com você.

Oriente-os também a jamais compartilhar suas senhas com ninguém, não usar computadores públicos ou redes Wi-Fi desconhecidas para realizar compras ou pagamentos on-line e, principalmente, não anotar senhas no celular ou em papéis que fiquem à vista. Fique de olho, também, em outras formas de abuso econômico contra idosos.

A informação é a melhor forma de prevenção, mas se for ou conhecer alguém que foi vítima de golpe, reúna evidências, notifique seu banco para que ele tome as medidas cabíveis e faça um boletim de ocorrência, online ou na delegacia mais próxima.

Cuidando de quem já cuidou muito de você

Use estas informações para prevenir furtos e fraudes que vitimam aqueles que você ama e que estão mais vulneráveis. Converse com seus avôs, avós e outros idosos que você tenha em seu círculo de convivência! Este é um gesto de amor e retribuição por aqueles que já fizeram tanto por você também. 

Gostou das informações? Compartilhe também nas suas redes sociais, para que mais pessoas possam se informar, se proteger, e proteger seus familiares!

Fonte: Meu Bolso em dia| Febraban

Outras notícias

Instruções para obter condições especiais de empréstimos
Ceres anuncia medidas emergenciais para apoiar participantes e assistidos residentes no Rio Grande do Sul
A família pode herdar uma dívida?
O Relatório Anual de Informações (RAI) referente ao ano de 2023 está disponível