Previdência é investimento com foco no longo prazo

Previdência é investimento com foco no longo prazo

O que determina as estratégias de aplicação dos recursos dos planos de previdência é o passivo, ou seja, os compromissos financeiros dos planos com o pagamento dos benefícios. 

O período de participação em um plano de previdência pode durar mais de 20 ou 30 anos, por isso, o longo prazo é o que orienta a gestão dos investimentos

Enquanto o investidor de curto prazo se preocupa com a rentabilidade no dia a dia, os investidores de longo prazo, como a Ceres, estão preocupados em pagar benefícios para o participante no futuro. 

Por isso, o que determina as estratégias de aplicação dos recursos dos planos de previdência é o passivo, ou seja, os compromissos financeiros dos planos com o pagamento dos benefícios. 

Tudo está planejado na política de investimentos, que é elaborada com base em cenários econômicos projetados, mas que podem ser afetados por fatores conjunturais, políticos e econômicos nos mercados interno e externo. 

Atualmente, enfrentamos momentos difíceis, a guerra entre Rússia e Ucrânia, inflação alta no Brasil e no mundo, elevação dos juros e um cenário eleitoral que irá gerar muita volatilidade. Situações tão críticas como as que atravessamos em 2008 e no período de 2013 a 2015. 

Esses momentos são condições temporárias, que se limitam a uma situação e trazem impactos nos resultados de um dado momento sem, contudo, comprometê-los como um todo. Seus efeitos são compensados ao longo do tempo. 

Na gestão dos recursos dos planos de benefícios, devemos ficar atentos a esses momentos difíceis para traçar estratégias específicas, mas não podemos perder de vista os resultados no longo prazo. Esses sim podem comprometer a capacidade dos planos de honrar os benefícios, o que não é o caso dos planos administrados pela Ceres. 

“Se temos uma política de investimentos bem traçada, com diretrizes de longo prazo, a entidade deve manter a aderência a este horizonte mais longo”, afirma Jobson Dantas de Barros, Diretor de Investimentos da Ceres.

Para traduzir em números reais o que estamos dizendo, apresentamos a seguir um gráfico com informações sobre os resultados dos investimentos no período de 21 anos. 

Você vai perceber que, no acumulado, a rentabilidade supera com folga as metas atuariais. Apesar de estarmos passando por um momento pouco favorável para os investimentos, isso não comprometeu o equilíbrio financeiro dos planos. 

Fonte: Ceres

Outras notícias

Como os atalhos do cérebro afetam suas escolhas financeiras?
A inflação, a taxa Selic e o seu bolso
10 dicas usar educação financeira e qualidade de vida
Estatuto da Pessoa Idosa é o novo nome do Estatuto do Idoso; entenda a mudança
Skip to content